29.02.2016
8

#HateMondays: Poliana e o jogo do contente.

Poliana e o jogo do contente…

Mês passado estava arrumando meu quarto e achei o livro de Poliana. Muitos já devem conhecer a história – quase toda mãe indica aos filhos – e inclusive alguns devem usufruir da “filosofia” do livro. Minha mãe é uma dessas pessoas e eu estou tentando ser!

Para quem ainda não conhece, vou contar um pouco da história. O livro conta a história de Poliana, uma menina cujos avós eram ricos, porém sua mãe decide casar-se com um pastor, missionário dos pobres, contrariando a vontade de toda a sua família. Por conta disso, a família se afasta de sua mãe e passam a viver uma vida simples. Poliana perde os irmãos e a mãe ainda muito pequena e, aos 11 anos, perde o seu pai. Diante da tragédia, a menina vai morar com sua tia Paulina, irmã da sua mãe, uma senhora bem amargurada e ranzinza, que apenas a aceita para cumprir a sua obrigação de parente.

Apesar de sua tia ser muito rica, Poliana vai morar no sótão da casa, um local escuro, com pouca decoração, sem quadros e apenas uma janela. E mesmo com todos os problemas e dores, ainda assim ela é uma menina doce e otimista e ensina para todos o Jogo do Contente, brincadeira que seu pai ensinara, na qual é preciso ver o lado bom de tudo na vida…

Para entender o jogo tem que ler o trecho acima!

E foi relendo Poliana que eu comecei a pensar na vida e nos problemas que surgem – e que muitas vezes são mínimos ou inexistentes – e nós fazemos uma grande tempestade. A partir de hoje, por que não tentamos fazer o jogo do contente? Tudo nesta vida tem um lado bom, e se não for benção, será lição. E é pelo lado positivo e otimista que temos que ver a vida. Ficou preso no transito? Que ótimo! Assim você consegue ouvir a sua música preferida no rádio. O médico atrasou a consulta? Não fique chateada, é uma ótima oportunidade para ver o noticiário do dia, os blogs de moda e as resenhas do Oscar 2016, por exemplo. E por ai vai…

Viram como é fácil brincar do jogo do contente e aplica-lo em coisas simples? Que tal vocês começarem a brincadeira vendo o lado bom em ser segunda-feira?

É preciso ver a vida com mais alegria, pois tudo tem o poder e a importância que a gente dá…

Ps: Para quem ainda não leu, indico muito o livro de Poliana, de Heleonor H. Porter. O livro é infantil, mas com uma lição de vida para todas as idades.

E aí, gostaram das minhas dicas? Então clica no “amei” aqui embaixo para eu saber! Thanks!!!

Escreva seu comentário